Como acabar com carrapatos em bovinos

Guia de Doenças | 17 de agosto de 2016

O carrapato ainda desafia o produtor rural figurando como inimigo número 1 da pecuária brasileira, visto que mais de 80% do rebanho nacional está infestado pelo parasita.

As consequências da infestação de carrapatos no rebanho são diversas, mas as mais comuns são a redução na produção de leite e carne, a baixa conversão alimentar, a perda na qualidade do couro do gado, além da perda de peso dos animais que foram infestados. O carrapato, além de tudo, pode ser transmissor da tristeza parasitária bovina.

Na ânsia de resolver o problema, troca-se indiscriminadamente de produto, o que só vai agravar ainda mais a situação. Em consequência disto, perde-se anualmente no Brasil cerca de dois bilhões de dólares. O problema é realmente complicado e grave, mas nem por isso a solução deve ser complexa. Basta que se tenha em mente que muito do que se perde com o carrapato decorre dos erros cometidos na tentativa de controlá-lo. Para minimizar os prejuízos, portanto, é importante conhecer bem o inimigo e identificar e corrigir os principais erros cometidos. O carrapato tem uma reprodução muito rápida, ciclo de apenas 21 dias, por isso a dificuldade em controlar essa praga.

Vida do carrapato

Os bovinos são infestados pelo carrapato, quando caminham por uma pastagem infestada. As larvas, que são os “filhotes” dos carrapatos, sobem no animal e procuram um local adequado para se fixar. É o início da fase parasitária, ou fase em que o carrapato permanece fixado ao animal, que dura em torno de 22 dias. Neste período, as larvas se alimentam e se transformam em ninfas que, posteriormente, darão origem aos adultos, que irão sugar sangue e acasalar. A fêmea fecundada se enche de sangue e abandona o hospedeiro, iniciando a fase não-parasitária ou de vida livre. No solo, a fêmea procura um local ideal para a ovoposição de 2.000 a 3.000 ovos. Após a incubação, de cada ovo sairá uma larva, que irá se posicionar na ponta da pastagem a espera de um novo hospedeiro, fechando o ciclo.

A escolha do produto para combate

Que carrapaticida devo utilizar para combater os carrapatos de meu rebanho? Esta é a pergunta mais frequente entre os produtores de leite, preocupados com os prejuízos determinados pelo carrapato dos bovinos. É importante que todos saibam que a resposta adequada a esta pergunta só pode ser obtida por meio de testes específicos.

Carrapaticidas e manejo

A simples determinação do carrapaticida mais adequado a uma propriedade não resolve o problema. É preciso que este produto seja misturado e aplicado na quantidade certa, em todo o corpo do animal, de acordo com as recomendações do fabricante.

Além disso, há um excesso de manejo que gera estresse aos animais e as pessoas envolvidas. Importante se atentar aos resíduos deixados no leite e carne.

Tratamento  Homeopático

Dentre as principais vantagens estão:

-A facilidade de uso, pois a medicação chega ao animal via dieta, diminuindo o manejo;

– Não há risco de resíduos no leite e na carne. Não há carência;

– Produto não gera resistência do parasita, pois estimula imunologicamente os animais tornando-os ativos contra os parasitas (moscas hematófagas, carrapatos, bernes e vermes);

– Sem risco de contaminação para às pessoas no manejo em geral.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Por que as estradas da Real H são verdes?

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!