Desafios e Dicas sobre a Eficiência na Criação de Bezerras – PARTE III

Girolando | 29 de março de 2016

DICA TÉCNICA 40Os cuidados com as bezerras, de fato, começam bem antes do nascimento, na fêmea gestante. Nesta fase, além das exigências oriundas da atividade produtiva ainda serem elevadas, o feto ocupa grande parte da cavidade abdominal, limitando a ingestão em quantidade de volumosos, isto se complica notadamente na fase final de gestação quando seu organismo está sendo mais exigido (grande crescimento fetal).

O momento do parto deve ser cercado de cuidados, sempre que possível, evitando maternidades próximas à grande movimentação de pessoas e equipamentos, visando favorecer o parto eutócico (normal) em detrimento do parto distócico (mediado). O motivo é que durante as contrações do útero, ocorre grande transferência de sangue para o feto, visto que o cordão umbilical ainda não está rompido. Este sangue a mais, será importantíssimo na saúde do neonato.

Imediatamente após a vaca lamber a sua cria, deve-se fazer a desinfecção do umbigo que é a porta de entrada de bactérias causadoras da “onfaloflebite” (inflamação do umbigo) e de suas complicações mais comuns como as poliartrites.

Protocolo sugerido:

Matrimax – 20g/cab/dia terço final da gestação e mais 15 dias após o parto

 *Para desafios consulte o Departamento Técnico da Real H no (67) 3028-9000.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    Nova Linha H Tech Real H | Conhecendo Alguns Produtos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!