EFICIÊNCIA REPRODUTIVA: COMO MELHORAR O CIO, PRENHEZ DAS FÊMEAS E OTIMIZAR OS RESULTADOS NA IATF?

Reprodução | 29 de outubro de 2018

A eficiência reprodutiva está diretamente relacionada com desempenho econômico de uma atividade pecuária, seja ela de leite ou corte. Com o aumento da produtividade os índices de fertilidade diminuíram com passar dos anos estando abaixo dos índices desejados. Dessa forma devemos buscar maior taxa de natalidade que está diretamente relacionada com a taxa de prenhes. Além de emprenhar um maior número de vacas devemos emprenhar o mais cedo possível.

No gado de leite quanto mais cedo emprenharmos as vacas do rebanho teremos maior proporção de vacas em lactação e em seu maior período de produção. Um bom indicador para sabermos se estamos no caminho certo é o Dias em Lactação (DEL) médio do rebanho e esse valor deve ficar o mais próximo de 150 dias. Já no gado de corte além de empenharmos o maior número de vacas também devemos emprenha-las o mais rápido possível, porque vacas emprenhadas no início da estação de monta, consequente teremos bezerros nascidos em outubro, os quais desmamam mais pesados e tem menor idade ao abate.

Uma vez que devemos ter taxa de prenhes mais alta o melhor caminho é entender algumas situações que contribuem com esse resultado. A intensidade e qualidade do cio estão diretamente relacionadas com maior taxa de prenhes. Madureira (2015) avaliou vacas com baixa e alta atividade de cio. Vacas com baixa atividade tiveram taxa de prenhes na inseminação artificial de 24% contra 37,5% de vacas com alta intensidade. No mesmo estudo, avaliando a intensidade de cio através do pedômetro, encontraram taxas de prenhes na inseminação artificial de 21,4% para vacas com baixa intensidade de cio e 33,5% para alta intensidade de cio.

Outro fator que está associado a qualidade do cio são as taxas de estradiol e progesterona durante o cio e após o cio respectivamente. Cerri (2018) encontrou maiores taxas de estradiol durante o cio em vacas com alta intensidade de cio em relação a vacas com baixa intensidade. A progesterona após o cio foi maior em vacas com altas intensidade.

Dessa forma a utilização de Pró-Cio (melhorando a fertilidade) e Embrioplus (atuando no controle da reabsorção) promove o aumento da taxa de fertilidade e consequentemente da atividade reprodutiva e econômica do rebanho. Como pode ser visto no gráfico abaixo a utilização de da Homeopatia da Real H aumentou a taxa de progesterona em 2,55 vezes.

Em trabalho publicado no SBT de 2018, foi avaliado o desempenho da homeopatia da Real H em novilhas ½ sangue nelore/angus foi encontrado maior diâmetro de folículo dominante, diâmetro de folículo pré-ovulatório, área de corpo lúteo e escore de vascularização do corpo lúteo. A taxa de prenhes nos animais sem homeopatia foi de 55% contra 70% para os animais com homeopatia. Esses resultados estão demonstrados em gráfico abaixo.

Os produtos focados em reprodução na fêmea bovina, otimizam o ciclo estral, aumentam sua intensidade, desta forma a homeopatia populacional Real H é uma tecnologia segura no incremento dos índices reprodutivos associados ou não com protocolos hormonais.

Consulte sempre um médico veterinário.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    Nova Linha H Tech Real H | Conhecendo Alguns Produtos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!