Entenda a Diarreia Bovina

Guia de Doenças | 12 de maio de 2016

A diarreia bovina (BVDV) é uma doença causada por um vírus (Pestivirus) que acomete bovinos e outros ruminantes, fazendo com que esses animais apresentem problemas de saúde, como anorexia, hipertermia, salivação, descarga nasal, desidratação, aborto e diarreias (com ou sem a presença de sangue). Entre os principais transtornos relacionados à Diarreia Viral Bovina estão os grandes prejuízos financeiros em relação ao rebanho.

A doença pode ocasionar diversos problemas à esfera reprodutiva, já que pode causar infertilidade, abortamentos, repetição de cios e má formações, entre outros transtornos. Caracterizado pela existência de dois biótipos [o citopático (CP) e o não citopático (NCP)], o Pestivirus apresenta divergências relacionadas à replicação viral em cultivo celular. O biótico CP é produto da mutação do biótipo NCP – sendo esse o biótipo mais comumente isolado.

Classificados em 2 genótipos (BVDV-1 e BVDV-2), os biótipos NCP e CP apresentam características diferentes entre si. Dessa forma, quando há a transmissão do vírus através da placenta da NCP antes de o feto completar 120 dias de gestação, o resultado pode ser um animal infectado de forma crônica (PI). Ou seja, um bicho que vai sofrer com a Diarreia Viral Bovina a vida inteira, sendo que essa infecção pode se manifestar de diversas formas.

Como a Diarreia Viral Bovina pode se manifestar?

Acometendo bovinos e outros ruminantes, a BVDV pode manifestar-se das seguintes formas:

  • Subclínica, quando não apresenta sinais clínicos, como febres moderadas, produção de anticorpos e leucopenia. Essa forma representa entre 70 e 90% do número total de animais infectados, sendo, portanto, a mais comum;
  • Aguda, quando provoca febres, anorexia, erosões e ulcerações na mucosa oral e diarreias, entre outros problemas. Os animais que sofrem com esse tipo de BVDV são os imunocompetentes não PI, com idade entre 6 e 24 meses;
  • Aguda severa, quando provoca um grande número de mortes súbitas de bovinos, além de outras características, como a ocorrência de febres, pneumonias e abortos;
  • Síndrome hemorrágica, quando provoca diarreia com a presença de sangue, além de febres, trombocitopenia, leucopenia, hemorragias na parte superficial das mucosas e morte;
  • Doença das Mucosas (DM), quando a manifestação da doença é esporádica (afetando cerca de 5% do rebanho) e causa sintomas, como febres bifásicas, anorexia, taquicardia e diarreia (com a presença de sangue ou não, normalmente muito fétida), além das erosões e ulcerações nas mucosas.

O controle e profilaxia da BVDV se dão através da detecção da doença e eliminação dos animais PI, além da vacinação, que é opcional. A vacinação vale a pena para rebanhos de alta rotatividade de animais ou rebanhos com histórico da doença.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Institucional Real H 2024 (Completo)

    Entrevista Nair Furrer Matos

    Produtores de Leite das Alagoas Visitam Grupo ACP Filhos e Netos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!