Governo de Minas lança Projeto Campo Novo

Girolando | 14 de maio de 2013

Democratizar o acesso à tecnologia de fecundação in vitro aos pequenos produtores rurais de leite. Esta é a decisão do Governo de Minas que será anunciada nesta sexta-feira (10/05), às 14 horas, pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Narcio Rodrigues, durante o encerramento da Expozebu, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A solenidade será realizada no anfiteatro do Museu do Zebu, no Parque de Exposições Fernando Costa.

O objetivo do projeto, denominado Campo Novo, é inverter uma lógica perversa em que apenas os grandes produtores rurais têm acesso aos benefícios produzidos pela biotecnologia e genética animal. Excluídos do processo de conhecimento e de utilização dos avanços tecnológicos, a eles só restavam a atividade de subsistência orientados apenas pelo senso comum, passado de geração em geração que não agrega valor, se traduz em produto de baixa qualidade e produtividade, e não gera renda suficiente para sustentar o seu negócio. O resultado quase sempre é o êxodo rural. “Estamos criando condições de permitir ao pequeno produtor de leite a mesma tecnologia dos grandes conglomerados rurais. Este projeto vai melhorar, em curto prazo de tempo, o aumento de renda e a qualidade de vida de cada família”, avaliou o secretário Narcio Rodrigues.

O projeto da Secretaria de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, desenvolvido pelo APL de Biotecnologia, terá um impacto significativo no melhoramento genético dos rebanhos desses pequenos produtores. A diferença é de que enquanto pelo método da inseminação artificial e na utilização de touros provados em monta natural o melhoramento genético é de longo prazo, no método produzido pelo Campo Novo a velocidade é muito maior. Isto porque o produto gerado independe da qualidade do plantel existente e, nos embriões, serão utilizadas matrizes (doadoras) e touros de terceiros com alto valor genético. O resultado é a obtenção de um número maior de matrizes de qualidade para o plantel, já que o processo permite a utilização de sêmen sexado de fêmea.

O impacto financeiro e econômico para os pequenos produtores rurais reside nesse significativo detalhe: animais com mães e pais reconhecidamente de qualidade genética elevada, os produtos a serem comercializados em feiras e leilões serão por valores mais expressivos. E mais: os benefícios para esses produtores resultarão em aumento da produtividade leiteira com baixo investimento e acesso à tecnologia avançada.

A primeira etapa do projeto tem duração de 24 meses e a meta é atender 60 produtores no primeiro momento. Serão disponibilizados, em média, quatro prenhezes sexadas de fêmea meio-sangue Girolando para cada produtor participante. Posteriormente, o número de produtores será ampliado.

O projeto Campo Novo é do Governo de Minas, idealizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, desenvolvido pelo APL de Biotecnologia e Genética Bovina, com a parceria da ABCZ, Epamig, Emater, Fapemig, Fundação Triângulo, Coopervale, prefeitura de Uberaba, entre outros.

Fonte: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Revisado por Assessoria Imprensa Real H

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Sustentabilidade Copercana

    Casos de Sucesso Cabanha Santa Helena

    Institucional Real H 2024 (Completo)

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!