Lesões de teto: porta de entrada para mastite bovina

Girolando | 11 de fevereiro de 2016

dicatecnica.jpgVários fatores podem afetar a condição dos tetos de vacas lactantes:

a) Efeitos do equipamento de ordenha.

b) Efeitos e/ou agentes do ambiente.

c) Agentes infecciosos.

Lesões infecciosas da pele do teto são usualmente causadas por vírus, bactérias ou por fungos.  As lesões podem afetar o epitélio do orifício do teto, o corpo do teto e a pele do úbere. Infecções virais usualmente causam lesões primárias. Bactérias podem causar lesões primárias, infecções secundárias ou traumas.

 O trauma inicial pode ser induzido pelo equipamento de ordenha ou ser causado por fatores ambientais.  Infecções bacterianas da pele do teto são significativamente mais prevalentes que qualquer infecção viral, e também de maior importância econômica, sendo importante fonte de novas infecções intramamárias e mastite clínica.

Lesões de tetos não tratadas são rapidamente colonizadas por bactérias. Os agentes Staphylococcus aureus, Streptococcus dysgalactiae e Arcanobacterium pyogenes são normalmente presentes na pele de vacas leiteiras. Eles prontamente colonizam qualquer lesão, traumática ou infecciosa.

 Infecções da pele do teto é um importante fator de risco para mastite em vacas de leite. Tetos rachados têm muito mais probabilidade de serem infectados por Staphylococcus aureus ou Streptococcus dysgalactiae, e tais infecções são intimamente associadas com taxas de novas infecções e casos frequentes de mastite clinica.

PROTOCOLO SUGERIDO:

Cura Teto: aplicar uma camada após cada ordenha, limpando o local com papel toalha.

*Para desafios consulte o Departamento Técnico da Real H no (67) 3028-9000.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Institucional Real H 2024 (Completo)

    Entrevista Nair Furrer Matos

    Produtores de Leite das Alagoas Visitam Grupo ACP Filhos e Netos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!