verrugas

Verrugas no Gado. O Que Fazer?

Guia de Doenças | Pecuária de Corte | Pecuária de Leite | 9 de julho de 2020

A papilomatose é uma doença viral infecto-contagiosa, bastante comum nos rebanhos leiteiros. Dessa forma, possui alguns nomes populares, entre eles Verruga, Figueira, Verrucose, Fibropapilomatose ou Epitelioma contagioso.

Caracteriza-se pela formação de papilomas (verrugas) que se assemelham a tumores na pele e mucosa dos bovinos.

Acomete principalmente animais jovens, abaixo de dois anos, mas todas as idades podem ser afetadas. O problema pode ocorrer também em outras espécies como ovinos, caprinos, equinos e cães.

No Brasil está presente em todo o país. Entretanto, se verifica maior incidência em alguns estados como Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e Rondônia.

Características

Os papilomas são na maioria das vezes circulares, de tamanhos, cores e formas variadas. Sendo assim, podem apresentar superfícies pontiagudas, lisas, ásperas, rugosas e até mesmo ter aspecto de couve-flor.

As verrugas localizam-se com maior frequência na cabeça, ao redor dos olhos, pescoço, barbela, úberes, tetos e pênis. A papilomatose não é uma doença que causa morte dos animais, porém os bovinos afetados perdem o valor de comercio,  ficam mais predispostos a ocorrência de infecções bacterianas secundárias e miíases. Pode ainda haver danos ao couro, que também perde seu valor de mercado, e, quando os papilomas se formam nos tetos de vacas leiteiras, podem impossibilitar a ordenha, amamentação e consequentemente a secreção de leite.

            O problema é mais comum em animais imunossuprimidos. A transmissão se dá por contato direto com os animais afetados, principalmente quando o animal apresenta ferimentos ou lesões na pele. Mas também pode ocorrer por contato indireto com instalações, cercas, troncos, baias, mourões e equipamentos contaminados, como agulhas, seringas, teteiras de ordenhadeira mecânica e até mesmo mãos dos ordenadores.

A melhor forma de se evitar a entrada da doença no rebanho é não comprar animais com papilomas, pois, uma vez instalada no rebanho, o foco de contaminação dificilmente o deixará. Porém, a primeira providência a ser tomada, quando detectada a presença de algum animal com papilomas, é separá-lo do restante do plantel e combater os papilomas deste animal.

Tratamento e Prevenção

papilomazin
Papilomazin | Real H

Para o tratamento da papilomatose, a Real H possui o produto Papilomazin, um medicamento totalmente homeopático indicado para o tratamento curativo da papilomatose tanto em casos isolados quanto em populações.

Os animais acometidos devem ser separados do rebanho, formando um lote à parte. Fornecer para estes animais a dose diária mínima de 40g, até o desaparecimento total das verrugas. O produto pode ser misturado ao suplemento mineral/proteico ou à ração.  Nos casos mais graves recomenda-se dar rodeios diários em torno ao cocho para estimular o consumo e assegurar a ingestão mínima desejada.

Em rebanhos com histórico de papilomatose pode ser fornecido como preventivo, através do suplemento mineral, com inclusão de 2 a 4% (600 a 1.200g/30 kg suplemento) de modo contínuo assegurando a ingestão diária de 2 a 4 g/cab/dia.

As doses podem ser alteradas a critério do Médico Veterinário.

Caso de Sucesso

Na fazenda Dois Irmãos o uso do Papilomazin está ajudando a controlar as verrugas e reduzir os prejuízos. Acompanhe o vídeo a seguir.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    Nova Linha H Tech Real H | Conhecendo Alguns Produtos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!