Primeiros cuidados com bezerros recém-nascidos

Guia de Raças | Negócios | 5 de outubro de 2017

Entre os meses de setembro e outubro, o nascimento de bezerros é comum para os pecuaristas que utilizam tecnologias que possibilitam a sincronização dos partos. Neste período são necessários cuidados importantes com estes animais como a ingestão do colostro, assepsia do umbigo (cura do umbigo), desverminação, identificação dos bezerros, realização da pesagem e vacinação. Para o correto manejo sanitário dos animais jovens, o produtor pode solicitar ao Médico Veterinário responsável pelo atendimento em sua propriedade a elaboração de um cronograma sanitário para bezerros.

Os cuidados com a saúde dos bezerros devem iniciar antes do nascimento através da avaliação das matrizes, realizando exames ginecológicos e exames laboratoriais, a fim de descartar a possibilidade de doenças que possam causar aborto como a Brucelose e Leptospirose.

Já no pós-parto, as vacas mantidas em piquetes maternidade facilitarão o acompanhamento do parto e da primeira mamada do bezerro que deve ocorrer em até três horas após o nascimento, possibilitando o fornecimento do colostro, um alimento rico em anticorpos.

Após o reconhecimento materno e a mamada do colostro, o próximo passo é o corte do cordão umbilical e a cura do umbigo.  O corte do cordão deve ser realizado com tesoura limpa e afiada, deixando o comprimento de 5 cm, ou três dedos, em seguida aplica-se solução de iodo. Um umbigo que não foi bem cuidado pode desenvolver infecção, trazendo grandes perigos para o animal, sendo que, o tratamento de uma infecção é demorado e gera mais mão de obra. Este manejo ajudará a evitar um dos principais problemas sanitários que são as infecções de umbigo, responsáveis pela diminuição no desempenho produtivo dos bezerros que não forem a óbito em até 25% em relação aos animais da mesma idade (COELHO, 2012).

Durante o manejo da “cura do umbigo”, outros procedimentos são realizados visando otimizar o tempo e não causar grande estresse tanto para o bezerro quanto para as mães, deste modo, há a necessidade da administração de produtos a fim de evitar a diarreia, porém, na primeira fase da vida o bezerro ainda possui goteira esofágica e sua imunidade está em formação, isso exige cuidados na escolha dos medicamentos a serem utilizados para que não haja interferência negativa na evolução dos bezerros.

A diarreia é um dos principais problemas encontrados nesta fase e, para estes casos, os medicamentos homeopáticos auxiliam no tratamento pois, não possuem risco de intoxicação ou sobrecarga medicamentosa, atuará especificamente no suporte imunológico do animal.

O Dia 100 é um medicamento homeopático indicado na cura e prevenção de diarreias em bovinos, ovinos, caprinos, equídeos e suínos, utilizado de modo preventivo e curativo nos estágios iniciais da diarreia. Por se tratar de um medicamento homeopático, ao entrar em contato com a boca do animal, age estimulando o sistema neuroendócrino, promovendo a eliminação de toxinas, a harmonia funcional a nível intestinal, restaurando as defesas e o equilíbrio orgânico.  Consulte um Médico Veterinário.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Real H CMR - Ao Vivo Megaleite 2024 13/06

    Bezerros de Elite Desmamando Até 10Kg Mais Pesados | Casos de Sucesso Fazenda São Vicente

    C. A. R. N. E. Acompanhe como foi a Central de Avaliação de Reprodutores Nelore na Estância IPB

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!