Quais as causas para os problemas no casco do rebanho

Guia de Doenças | 25 de setembro de 2017

Muito além de problemas graves como de reprodução, de estresse e de parasitas, o produtor precisa ter uma atenção especial a algo que pode parecer um detalhe, os cascos dos animais. Essa parte tão pequena do corpo do animal pode apresentar inúmeros problemas como rachaduras, inflamações, laminite aguda ou crônica, dermatite interdigital, verruga de casco, úlcera de sola, erosão de talão, podridão dos cascos, dentre outros.

Os problemas de casco ocorrem na maioria dos países e é de grande importância econômica, especialmente em bovinos leiteiros, onde as estatísticas são mais contundentes. Nos animais acometidos há queda de produção e, ocasionalmente, podem sofrer envolvimento grave das articulações e outras estruturas profundas, chegando-se à amputação da unha.

Causas

Diferentes fatores influenciam nos problemas de cascos do rebanho. Os animais ficam expostos às bactérias nocivas, que surgem com o acúmulo de fezes e urina nas instalações onde vivem. Há necessidade de utilização de água diariamente para limpeza dessas instalações, o que deixa os cascos mais moles e predispostos às lesões.

Condições de manejo – o ambiente em que o animal vive deve ser confortável e seco, favorecendo o descanso da vaca. É neste ambiente que elas se alimentam, ruminam, descansam e transformam tudo que ingeriram em leite. A falta de locais adequados para descanso (camas confortáveis) faz com que os animais fiquem tempo demasiado de pé sobre um piso duro, levando à liberação de agentes inflamatórios que interferem na manutenção de um casco de boa qualidade.

Barro e pedra – Evite locais de deslocamento com pedras, cascalhos e barro, isso prejudica as solas dos cascos, causa desgastes e possíveis lesões. Um casco desgastado é porta de entrada para contaminações secundárias, podendo prejudicar ainda mais a saúde do seu gado.

Nutrição – Para o gado de leite o risco é ainda maior, já que passam por um aumento da densidade energética das dietas, necessário para a crescente produção leiteira. Isso torna os animais mais propensos ao desenvolvimento de acidose ruminal, o que libera substâncias que irão agir nocivamente na circulação no interior do casco, fazendo com que haja a produção de um tecido córneo de pior qualidade. Por isso devemos manter uma dieta equilibrada, suprindo as necessidades produtivas e fisiológicas dos animais. Uma boa dieta mantém o animal bem nutrido, melhorando o sistema imunológico.

Sintomas

Ficar atento ao primeiro sintoma de apoio anormal do casco que geralmente aparece quando o animal começa a mancar, o que chamamos de claudicação. Por causa da dor, há uma mudança na posição de apoio, levando ao crescimento de uma unha ou das duas, ou ao desgaste excessivo. Ao notar uma dificuldade em manobras ou desconforto ao se levantar/deitar procure ajuda de um médico veterinário para que se faça uma avaliação de qual a causa. Em casos mais graves o animal pode ainda apresentar febre, falta de apetite, perda da produtividade de leite e emagrecimento. Dessa forma, procure sempre agir o mais rápido possível para sanar esse problema.

O que fazer?

A homeopatia é uma escolha eficaz para o tratamento dos cascos. O produto Foot 100 promove uma regeneração dos tecidos afetados, reduzindo a inflamação e as dores das articulações. Ele previne novas infecções, auxilia na cura e ainda mantém a saúde dos cascos. Também é importante fazer o casqueamento preventivo para restabelecer a distribuição de peso nas unhas e entre elas.

 

*Consulte sempre um médico veterinário e para maiores esclarecimentos consulte o Departamento Técnico da Real H.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Por que as estradas da Real H são verdes?

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!