Vaca com mastite produz menos leite?

Guia de Doenças | Pecuária de Leite | 15 de outubro de 2021

A saúde do úbere dos animais é uma grande preocupação da produção leiteira. Entre as doenças que mais causam prejuízos nesse segmento está a mastite. O problema pode acometer um ou mais quartos mamários e pode aparecer quando a vaca está em lactação ou durante o período seco. Há duas formas de manifestação: A forma clínica e a subclínica.

Na forma clinica os animais apresentam sintomas clássicos de inflamação da glândula mamaria, como edema, vermelhidão, dor local e o leite pode conter pus e grumos. As vacas podem, ainda, apresentar febre, perda de apetite e, se o problema não for rapidamente resolvido, o animal pode perder o teto acometido e em casos mais graves chegar a morte.

Já a forma subclínica é a mais presente no campo, o animal não apresenta sintomas clássicos, porém tem redução na produção e qualidade do leite, o que causa prejuízo ao produtor, que muitas vezes demora para identificar o problema.

De acordo com dados da Revista Balde Branco, uma propriedade com produção diária de 1000 litros de leite, recebendo R$1,00 por litro produzido, se a CCS do tanque de expansão estiver em 1.000.000 Cél/mL, estima-se que a perda de produção seja de 18%, isto é, deixando de produzir 180 litros de leite por dia. Ou seja, em um mês o produtor deixa de ganhar em torno de R$ 5.400,00, sem falar na penalização que pode sofrer devido a elevada CCS.

Cuidados

Os cuidados para prevenção e tratamento da doença envolvem uma série de medidas que vão desde higiene dos animais, equipamentos e instalações, até uma alimentação equilibrada e manejo.

  • Equipamentos: é importante ficar atento a higiene dos mesmos, pois uma ordenhadeira suja será um foco de contaminação. A sala de ordenha também deve estar sempre limpa, desta forma além de menos fonte de contaminação para os animais, não atrai moscas;
  • Higiene da vaca: deve ser feita a correta higienização do úbere da vaca na pré e pós ordenha, realizando os chamados pré-dipping e pós-dipping. O pré-dipping consiste na desinfecção do úbere com produtos específicos, antes da ordenha e o pós-dipping, além da desinfecção do úbere pós ordenha, pode conter substancias capazes de proteger o ducto de leite, que fica aberto por cerca de duas horas após a ordenha, evitando assim a entrada de agentes infecciosos;
  • Após a ordenha os animais devem ser soltos em local limpo, se for no pasto, deve ser em um pasto que também esteja limpo e as vacas devem ser estimuladas a se alimentar e tomar água para evitar que deitem em curto prazo;
  • A alimentação deve ser equilibrada de forma a fornecer os nutrientes necessários para mantença e produção, mantendo assim uma boa imunidade e redução nos riscos de adoecimentos dos animais.

Como a Real H pode ajudar?

O tipo de alimento e quantidade a ser fornecida varia com o sistema de produção e com a raça e produção dos animais. O profissional que presta assistência técnica deve indicar a melhor opção. A REAL H também conta com um time de profissionais especializados em nutrição animal. O departamento técnico da empresa está sempre à disposição para orientar e tirar todas as dúvidas do produtor.

Um grande aliado para garantir a saúde de úbere é a Homeopatia, uma terapêutica segura e eficiente. Neste sentido a REAL H conta com vários produtos que podem ser utilizados para prevenção e auxiliar no tratamento de mastite e de diversas outras doenças comuns em rebanhos leiteiros.

Mast 100: Previne mastites clínicas e subclínicas reduzindo a CCS.

Começando pelo problema mais comum, Mast 100 é indicado como preventivo de mastites clínicas e subclínicas dos bovinos. O produto deve ser fornecido via rações, farelos ou suplementos, sendo de fácil administração, pois não há necessidade de manejar os animais. Eles recebem a homeopatia no cocho, junto com o alimento.

A dose a ser fornecida é baseada na média de produção do rebanho ou do lote, assegurar a ingestão mínima de 1g por litro de leite por dia.

Outro problema comum são as lesões de teto, que dificultam a ordenha. Para a cicatrização destas lesões, pode ser utilizado a pomada homeopática CMR Vet, que promove uma rápida cicatrização, podendo ser utilizada em qualquer tipo de lesão. Por ser um produto homeopático, a CMR Vet não é tóxica, inclusive em sistemas de bezerro ao pé, não há nenhum risco para o bezerro que mamar na vaca com a pomada no teto.

Outro produto que pode ser utilizado de forma continua em todos os rebanhos, é o Convert H, que promove melhora na imunidade geral, na conversão alimentar e acalma os animais. Com isso, o produto deixa o animal mais resistente, evitando assim doenças e melhora os índices de produção.

A REAL H, possui ainda o Convert H leite, indicado para animais em lactação como coadjuvante na melhora da qualidade do leite. Pode ser fornecido para vacas, búfalas, cabras e ovelhas.

Estas são algumas das alternativas que REAL H tem a oferecer para mais saúde e produtividade dos rebanhos leiteiros, que além de muito eficiente, como já dito anteriormente, são produtos seguros e que tem a vantagem de não deixar resíduo, ou seja, o produtor não precisa se preocupar com descarte.

Em caso de dúvidas ou para mais indicações de acordo com a realidade e desafio da sua propriedade, entre em contato com o departamento técnico da Real H.

Consulte sempre um médico veterinário.

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    Nova Linha H Tech Real H | Conhecendo Alguns Produtos

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!