Vantagens da utilização de amido extrusado e ureia pecuária

Sem categoria | 29 de janeiro de 2013

A procura por alimentos mais eficientes e econômicos para serem utilizados na alimentação animal é constante. Isto porque a alimentação participa com a maior fatia no custo de produção de carne no Brasil, se desconsideramos o valor do animal magro para engorda.

Dentre os alimentos para animais domésticos, os protéicos são os de custo mais elevado, pois a maioria concorre com a alimentação humana.  Por esta razão, a busca por fontes alternativas de proteína na alimentação animal tem se revelado fundamental. A ureia é o grande destaque por ser uma fonte de Nitrogênio Não Protéico (NNP) muito bem aproveitada pelos ruminantes, e principalmente por seu custo compatível. Baseados nesta premissa vantajosa, a ureia teve seu estudo na alimentação de ruminantes muito intensificado a partir da década de 60.

A utilização de ureia na forma pura apresenta algumas limitações como a baixa palatabilidade, a possibilidade de segregação quando misturada aos outros ingredientes e a toxidade, que é agravada pela alta degradabilidade no rúmen – por ação da enzima urease microbiana – que a transforma rapidamente em amônia. Nestes casos, ocorre a absorção de elevadas quantidades de nitrogênio amoniacal pela parede do rumem, sobrecarregando o fígado e aumentando rapidamente a concentração de amônia no sangue, levando a um quadro de intoxicação dos animais e não raro à morte.

Os ditos “Complexos de Liberação Lenta” de uréia reduzem muito a toxidade potencial e melhoram a aceitação pelos animais, favorecendo sua utilização, e reduzindo os custos de concentrações e rações. A degradação mais lenta da ureia, com consequente liberação mais regular de amônia, permite às bactérias ruminais produção mais constante de proteína bacteriana através de sua multiplicação, trazendo ganhos em termos de desempenho e saúde.

A utilização de ureia extrusada com amido traz benefícios importantes, entre eles a liberação de mais amônia no rúmen, aliado ao fornecimento simultâneo de energia, bem como de alguns minerais, para que as bactérias ruminais metabolizem e se multipliquem, produzindo mais proteína bacteriana constantemente.

Os produtos da Real H com estas características são o UREMAX®100, 150 e LEITE. São classificados como aditivos nutricionais destinados a compor rações e suplementos proteicos, sendo produzidos a base de um mix de Amidos, Ureia Pecuária e Enxofre.

Na prática das fazendas, o uso de UREMAX® nos suplementos aumenta a segurança no caso de chuvas, pelo fato do amido extrusado ser insolúvel em água, mantendo a ureia “aprisionada”.

UREMAX®é um interessante aliado do produtor porque permite reduzir custos dos alimentos, melhorar a performance dos lotes em áreas com pastagens degradadas e dá maior segurança, especialmente na época das chuvas.

Procure nosso departamento técnico para outras informações.

 

Artigo elaborado por Ricardo Martinez, M.Sc.
Zootecnista e Promotor Técnico da Real H
ricardo.departamentotecnico@realh.com.br
Revisado por Ass. Imprensa da Real H 

COMENTÁRIOS

Mande sua dúvida!

    PECUÁRIA FORTE TV

    Por que as estradas da Real H são verdes?

    Fazenda Rromy: 50% Menos Tristeza e Controle de Carrapatos com Ectrol MD

    A Revolução da Pecuária Regenerativa: O Papel Transformador da Real H

    MAIS PROGRAMAS
    Estamos a disposição!